quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Aguada: uma infinidade de possibilidades!

 Ao tratar do tema “técnica de pintura”, é importante compreender que a humanidade tende a evoluir constantemente, superando as técnicas já desenvolvidas, porém não abandonando àquelas que lhe são úteis.
A pintura se difere das outras artes por se tratar de uma expressão que propõe a mente humana uma leitura dos seus elementos estéticos, como a figura, a forma, a textura, a cor. 
Foram necessários séculos moendo “pigmentos”, buscando a medida ideal para a mistura do “aglutinante” e experimentando as cores com seus matizes. Lembrando, ainda, que para cada técnica há uma tinta específica. 


AGUADA:


A aguada é uma técnica de desenho ou pintura?
Ha quem diga que se compara a uma pintura têmpera: é um método de pintura no qual os pigmentos de terra são misturados a um “colante”, uma emulsão de água e gemas de ovo ou ovos inteiros,às vezes cola ou leite. As cores de têmpera são brilhantes e translúcidas. 
Mas o que todos concordam é que a aguada é um passo anterior a aquarela.
A caracteristica principal é desenhar e pintar com uma cor diluida, com mais ou menos agua, para obter as tonalidades com auxilio do branco do papel e por meio de transparencias ou veladuras de cor (camada de cor aplicada sobre outra cor)
















A técnica aguada envolve a mistura de água com diferentes graus de tintas. Assemelha-se a aquarela por se tratar de uma sobreposição de transparencias. Consiste em  obter um degradê por meio de água de uma ou de duas cores. Quanto mais água menor a intensidade da tinta.
Geralmente é aplicado com um pincel, mas também é possivel o uso de bambus, palitos e canetas. 
A dificuldade, ao mesmo tempo, a beleza desta técnica é saber capturar os espaços diferentes entre luz direta e sombra. 
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                         
Nanquim:

O nanquim foi inventado na China, muitos séculos antes de Cristo. Os pintores chineses usavam a tinta em pincéis de madeira ou bambu e desenhavam animais e paisagens em pedaços de seda. 
Desde o Renascimento, desenhar com nanquim, água e pincel vem sendo uma discilplina aceita e valorizada pelas grandes figuras da arte ocidental.
Por muitos anos, o nanquim foi obtido a partir daquela tinta preta que os polvos liberam quando se sentem ameaçados. Hoje, ele é feito a partir de uma mistura entre cânfora, gelatina e um pó escuro chamado pó-de-sapato.






Possibilides de materiais:








Desenhar com:

BAMBU: é flexivel e resistente: Usar o bambu permite um traço mais diversificado que o feito com pena de metal. Quando bem afiado propocia um traço fino e sua ponta fibrosa deixa um rastro de cinza, similar ao sombreado que se obtem do lapis.

CANETA E PENA: A caneta é a  versao moderna da pena de metal. Consiste em um instrumento formado por uma ponta cilindrica, com embolo que regula a saida da tinta. A principal diferença entre o traço da caneta e da pena é sua regularidade. A pena apresenta grande variedade de traços enquanto a caneta nao varia em seu percurso. A caneta tem a vantagem de somente acrescentar tinta quando terminar a carga;

PINCEL: São produzidos usualmente pela fixação dos pêlos ao cabo por uma cinta metálica, a virola.
Permite um traço mais solto e expressivo pelas cerdas flexíveis diferente do traço técnico feito com a ponta dura da caneta 
Na hora de escolher um pincel procure sempre o melhor para cada tipo de tinta e superfície. Além de facilitar o trabalho, o resultado final ficará muito melhor. 







Ecoline:

Sao tintas muito luminosas e transparentes, e permitem grande variedade de efeitos, tanto no traçado como nas misturas de cor. Eh similar a aquarela, com a diferença de que uma vez seca, a tinta nao pode ser corrigida com pincel umido. Eh disponível em cores brilhantes e transparentes e mais 2 cores opacas (branco e preto).
A tinta ecoline tem uma excelente adesão em papéis além de poder ser usada com pincel, pena, aerógrafos e outros.




A aguada é uma técnica especialmente indicada para estudos de figuras e paisagens.
Saber pintar com aguada nao significa saber pintar com aquarela automaticamente. A aquarela requer muito treino com a aguada para adiquirir a linguagem correta. Um bom exercicio é praticar as tonalidades de tons de cinzas. 

AQUARELA

A “Aquarela” é uma técnica de pintura que utiliza corantes dissolvidos em água, possui transparência e luminosidade, por ser habitual utilizar papel, cartão ou madeira com cor branca. A aquarela pode utilizar aguada de guache ou técnica mista. Ela é uma técnica que exige agilidade, segurança e espontaneidade do artista, pois é quase impossível a correção de um erro. 
A aquarela diferencia-se por diluir as cores em água e utilizar o pincel para colocar o branco na composição. É uma técnica que requer bastante atenção no processo. 
Devemos sempre prestar atenção no que as manchas nos sugere para a partir daí prosseguirmos. Ao contrário do que muitos pensam, aquarelas não são SOMENTE pinturas leves. Encontramos aquarelas inglesas da era vitoriana que mais se parecem com óleo, e em muitos paises o termo watercolour significa tanto o que chamamos de guache quanto o que chamamos de aquarela. 
O importante na aquarela é nunca exceder na tinta branca. Use-a apenas para pequenas luzes. Procure deixar com que o branco e cores claras sejam sempre provenientes do papel. Boas aquarelas (tintas) nos dão tons profundos com aguadas diluídas. Um tom forte em aquarela não significa guache.
A aquarela é uma técnica onde temos que pensar antes de soltar as pinceladas. Parece contraditório, já que é uma técnica bem livre e solta, onde a sugestão da mancha conduz nossos trabalhos.
Inicialmente temos que, diante do que faremos, pensar se precisamos ou não esticar o papel. Isso dependerá das aguadas que usaremos. Se trabalharmos grandes áreas chapadas ou de degradês uniformes, devemos esticá-lo.
A inclinação do papel é outro elemento importante, e depende do que faremos no momento. A aguada que conduz o pigmento deve ser aplicada sobre seco ou úmido, depende também do que queremos pintar.

Vantagens:
  • Admite a gama total, desde o branco do papel até o tom próprio da tinta sem diluir;
  • As tonalidades intermediárias podem ser reguladas por sobreposições transparentes, quase imperceptíveis;
  • É relativamente remover o pigmento, permitindo o ajuste tonal e a obtenção de brilhos e contrastes finais.
  • Por secarem depressa,exigem  intervençôes rápidas e diretas, que implicam num esforço intelectual prévio: pensar primeiro, depois decidir e, por ultimoagir de acordo com as decisões tomadas. 
Bibliografia:Desenhe e pinte: Coleção Larousse. Vols 18,19,26


DESENHO E TATUAGEM: André Rodrigues
http://www.donrodrigues.com.br

BODY PIERCING: Ronaldo Sampaio - Snoopy
http://www.perfuradorcorporal.multiply.com

EXPERIMENTAÇÕES CRIATIVAS: Marcio Moreno
http://otumultoestaformado.blogspot.com

TÉCNICAS DE PINTURAS: Paulo Frade
http://www.paulofrade.com.br/

DESENHO CARTOON E ANIMAÇÃO: Ricardo Veneziani
http://venelandia.blogspot.com/


Informações com Maristela:
Tel:11-3051-3806
Email: oficinas.rodrigues









    Um comentário:

    1. MUITO BOM ! Adorei o seu blog ! Visite o meu blog sobre tênis e retribua o comentário ! : breakpointbrasil.blogspot.com/ - SIGA MEU BLOG E MEU TWITTER, que eu sigo o seu de volta !twitter @breakpointbr, caso queira seguir. Se puder me liste :-)

      Obrigado !

      ResponderExcluir